2015 - Mundus Vini 2015
Monte do Pintor Reserva Tinto 2011
Medalha de Ouro
i3

i2

2015 - AWC VIENNA 2015
Pequeno Pintor Tinto 2012
Medalha de Prata

i1

2009 - REVISTA DE VINHOS
Escultor
Tinto 2006
Prémio “Os melhores da Região Alentejo”

2009 - REVISTA DE VINHOS
Escultor
Tinto 2006
Prémio “A Escolha da Imprensa”

2008 - DECANTER WORLD WINE AWARDS
Pequeno Pintor
Tinto 2005
Medalha de Bronze

2008 - MUNDUS VINI 2008
Monte do Pintor
Reserva Tinto 2006
Medalha de Prata

2005 – Challenge International du Vin França
Monte do Pintor
Reserva 2001
Medalha de Bronze

2005 – REVISTA GULA (BRASIL)
Top 200 do Mundo
Monte do Pintor 2000

2003 MUNDUS VINI
Concurso Internacional
de Vinhos - Alemanha
Monte do Pintor 2000
Medalha de Ouro
2004 - REVISTA GULA
(BRASIL)
Top 100 do Mundo
Monte do Pintor 2000
2002 BACCHUS
Concurso Internacional
de Vinhos - Madrid,
Espanha
Monte do Pintor 1999
Medalha de Prata
2002 - OS MELHORES
VINHOS DO ALENTEJO
Confraria dos Enófilos
do Alentejo
2º Concurso de
Vinhos Engarrafados
Monte do Pintor 1999
3º Prémio
2002 - OS MELHORES
VINHOS DO ALENTEJO
Confraria dos Enófilos
do Alentejo
Concurso de Vinhos na
Produção
Monte do Pintor 2001
Menção Honrosa
2001 - REVISTA DE
VINHOS
OS MELHORES VINHOS
DE 2000 Alentejo
Monte do Pintor 1997

2001 - OS MELHORES
VINHOS DO ALENTEJO
Confraria dos Enófilos
do Alentejo
Concurso de Vinhos na
Produção
Monte do Pintor 2000
Menção Honrosa

2000 BACCHUS
Concurso Internacional
de Vinhos - Madrid,
Espanha
Monte do Pintor 1997
Medalha de Bronze
2000 - CLUBE DO
VINHO
Monte do Pintor 1997
2º Prémio

2000 - OS MELHORES
VINHOS DO ALENTEJO
Confraria dos Enófilos
do Alentejo
Concursos de Vinhos
na Produção
Monte do Pintor 1999
Menção Honrosa

1999 - OS MELHORES
VINHOS DO ALENTEJO
Confraria dos Enófilos
do Alentejo
1º Concurso de
Vinhos Engarrafados
Monte do Pintor 1996
3º Prémio
1999 - OS MELHORES
VINHOS DO ALENTEJO
Confraria dos Enófilos
do Alentejo
Concursos de Vinhos
na Produção
Monte do Pintor 1998
Menção Honrosa

1999 - 33º VINITALY Concurso Enológico
Internacional Verona,
Itália
Monte do Pintor 1996
Gran Mezione

1998 - 6ª BIENAL DO
RÓTULO ARTÍSTICO
Monte do Pintor 1995
Menção Honrosa
1997 - OS MELHORES
VINHOS DO ALENTEJO
Confraria dos Enófilos
do Alentejo
Concursos de Vinhos
na Produção
Monte do Pintor 1996
Menção Honrosa

 

 

 

 

 

 

 



Novembro 2011 - Guia de Vinhos 2012 - Rui Falcão, Portugal
Monte do Pintor Reserva 2008, “Cor vermelha intensa e brilhante. Vegetal muito ao de leve, fresco e seco, preciso e fino, revela uma fruta nobre e bem polida, guarnecida por taninos acerados mas elegantes, num todo intenso e vivo, tenso e harmonioso. Um tinto alentejano original e muito interessante.”
Nota de Prova: 17.

Novembro 2010 - Vinhos de Portugal 2011, Melhores do Ano - João Paulo Martins, Portugal
Escultor Tinto 2007, “Um novo topo de gama do Alentejo, um vinho de boutique, feito com uvas excelentes e todos os cuidados requeridos. Não vai chegar para todos mas é um belo alentejano.”
Nota de Prova: 17,5.

Agosto 2010 - Revista Única - Expresso, João Paulo Martins, Portugal
Pequeno Pintor Tinto 2006, “Ligeiro na cor mas de aroma bem definido, com fruta e notas vegetais secas, continua cheio de saúde e sem sinais de evolução. Dica: Perfeito para petiscos de inicio de refeição ou pratos leves.”

Dezembro 2009 - Revista de Vinhos, Edição No. 241, Portugal
Escultor Tinto 2006, “ Aroma marcado por notas de fruta madura e algum químico, bela sensação mineral, é um tinto reservado e austero. Muito bem na boca, fino e elegante, perfeitamente desenhado, muito bem conseguido. O tempo de cave far-lhe-á bem.”
Nota de Prova: 17,5

Outubro 2009 - Guia de Vinhos 2010, Rui Falcão, Portugal
“Monte do Pintor transformou-se com a mudança de proprietário, apresentando hoje vinhos estruturados mas elegantes, potentes mas equilibrados, com personalidade própria e uma originalidade que merece louvor. Gostei sobretudo do Escultor, um vinho enorme na amplitude e dimensão, que consegue fugir ao esteriótipo da fruta madura, açúcar, álcool e volume excessivo, para apresentar um perfil mais herbáceo mas suficientemente aprimorado. “
Escultor Tinto 2006, “Cor vermelha retinta densa e concentrada. Impressiona pela amplitude e dimensão, pela veemência das sensações herbáceas a que a predominância da casta Trincadeira não será alheia. Vigoroso mas sempre contido, poderoso, este Escultor oferece um perfil mais vegetal que o costumeiro, com um leve traço de verdor, numa monumentalidade bem diferente da potência e extracção tradicionais dos vinhos alentejanos. É um tinto de guarda que poderá deixar no repouso da garrafeira durante muitos anos.”
Nota de Prova: 17

Outubro 2009 - Vinhos de Portugal 2010, Melhores do Ano - João Paulo Martins, Portugal
Escultor Tinto 2006, “Um novo topo de gama do Alentejo, um vinho de boutique, feito com uvas excelentes e todos os cuidados requeridos. Não vai chegar para todos mas é um belo alentejano.”
Nota de Prova: 18.

Maio 2009 - Revista Selection, Alemanha
Monte do Pintor Reserva Tinto 2006 ficou entre os 20 mais bem classificados, recebendo 4 Estrelas, na Prova “Portugal - Terra dos Vinhos”

Abril 2009 - Revista Wine - Essência do Vinho, Edição No. 34, Portugal
Monte do Pintor Reserva Tinto 2006 ficou no TOP 100, entre os 12 mais bem classificados

Fevereiro 2009 - Revista Mais Alentejo, Edição No. 89, Portugal
Escultor “apresenta-se como a mais recente aposta da adega Monte do Pintor, um néctar que marca uma nova era naquela propriedade agrícola. Ali, em Igrejinha, concelho de Arraiolos, nos duzentos hectares que constituem aquela herdade, o sonho de produzir vinhos alentejanos concretiza-se vindima após vindima.”

Novembro 2008 - Vinhos de Portugal 2009, João Paulo Martins, Portugal
Monte do Pintor Reserva Tinto 2006, “já se percebe que temos tinto com boa concentração e aromas generosos, tostados e de fruta bem madura. (...) ... estilo capaz de agradar mesmo em novo, desde que o prato seja adequado.”
Classificação: 17

Monte do Pintor Tinto 2006, “O vinho aposta mais na elegância do que na concentração (...). É na boca que a fruta surge um pouco mais em evidência; o estilo do vinho é fácil.”
Classificação: 16

Pequeno Pintor Tinto 2006, “Boa concentração de cor e aroma, nota-se a ligeira presença das notas de barrica, o vinho tem fruta abundante e densa. Muito bem também na boca, fresco, cheio, sem taninos agressivos, é um belo tinto para beber já, deixando agradáveis notas tostadas no final.”
Classificação: 16

Agosto 2008 - Guia de Vinhos - Revista Gula, Brasil
Pequeno Pintor Tinto faz parte do grupo dos … “melhores do mercado… “.

29 de Novembro a 1 de Dezembro, 2005 – IBERWINE, Madrid, Espanha
Apresentação do Monte do Pintor 2002

11 de Novembro de 2005 – Viena de Áustria
Prova de Monte do Pintor 2002 durante a FEIRA DO VINHO DO PORTO no Grand Hotel Wein

10 de Novembro de 2005 – Viena de Áustria
Prova de Vinhos na residência do Embaixador de Portugal   Monte do Pintor 2002)                     

9 de Novembro de 2005 – Viena de Áustria
Monte do Pintor 2002
– Servido no DINNER DER SINNE (Jantar dos Sentidos ) no Restaurante Le Ciel do Grand Hotel Wien

Setembro de 2005 – WEINE UND WINZER AUS DEM ALENTEJO, Meininger Verlag
„Komplexer Tropfen mit viel Leichtigkeit, von dem man gerne ein zweites Glas trinkt.“ Monte do Pintor 2002 – Saubige bodenbetonte Nase, vielleicht ein kalkhaltiger Boden. Im Mund sehr angenehme Aromatik, feinwürzig mit Marzipanaromen..

28 de Setembro de 2005 – Viena de Áustria
Apresentação no Palais Niederösterreich do Monte do Pintor 2002 com DEL FABRO GmbH.

8 de Junho de 2005 - Pequim, República Popular da China.
Apresentação do Monte do Pintor 2002.

Maio de 2005 – Challenge International du Vin 2005 - França
Monte do Pintor Reserva 2001 – Medalha de Bronze

17 a 19 de Maio 2005 – Vino & Destiláty, Praga , República Checa.
Apresentação do Monte do Pintor 2002.

Maio de 2005 Apresentação do MONTE DO PINTOR 2002 e MONTE DO PINTOR Reserva 2001 no Hotel Bonaparte em Brasília (02 de Maio) e no Hotel Sheraton no Rio de Janeiro (06 de Maio)

3 a 5 de Maio de 2005 – EXPOVINIS - São Paulo, Brasil
Apresentação do MONTE DO PINTOR 2002 e MONTE DO PINTOR Reserva 2001

25 de Abril de 2005 – Atribuição da Medalha de Mérito Municipal por serviços prestados ao Município de Arraiolos.

EM VOLTA DO VINHO, Renato Machado - Editora Globo, Brasil
… “Uma viagem pelos espessos alentejanos rende inesperadas alegrias. Quatro vinhos se destacam: o Tapada do Chaves… O Monte do Pintor, tinto de diversas uvas da firma Sossega, também surpreende pela solidez. Os da Fundação Eugénio de Almeida…..os vinhos da Herdade do Mouchão….”

Abril de 2005 - PORTUGAL POST, Alemanha
Monte do Pintor : O "Chateau Petrus" do Alentejo
.. A Sociedade Agrícola da Sossega em Arraiolos trata-se do produtor de vinho mais pequeno do Alentejo, com uma área de 12 há de vinha. Daí que se possa dizer que estamos perante o "Chateau Petrus" do Alentejo. Este produtor apostou apenas em vinhos de qualidade, produzindo a marca MONTE DO PINTOR desde 1995. Em anos especiais produz o MONTE DO PINTOR RESERVA. Monte do Pintor Reserva..

6 a 8 de Março de 2005 - PROWEIN - Dusseldorf
Apresentação do Monte do Pintor 2001 e Monte do Pintor RESERVA 2001 

Janeiro de 2005 - REVISTA GULA (Brasil)
Monte do Pintor 2000
- escolhido entre os TOP 200 DO MUNDO 

Janeiro 2005 - PROEFSCHRIFT - Revista Profissional (Holanda)
Monte do Pintor Reserva 2001 -
."muita madeira, moca e café e também com fruta preta; presença de fruta madura mas a madeira tem o papel principal, cedro e bombons de ginja no final.."
Nota de Prova 7
 

Janeiro 2005 - GUIA 2005 DE VINHOS PORTUGUESES e ESTRANGEIROS - OS 5 ÁS 8
Monte do Pintor Reserva 2001.
Nota 16,5. Rui Falcão.
O Monte do Pintor Reserva é uma aposta nova deste produtor de Arraiolos, uma aposta que neste ano de 2001 se auto-limita a 9.900 garrafas. Mostra cor granada intensa, densidade e concentração média, sem se diferenciar de forma notória do Monte do Pintor "normal" do mesmo ano.
Volumoso, maduro, aposta ostensivamente nas compotas frutadas e na fruta bem madura. Compota de cereja, compota de tomate, "créme de cassis", doce de ameixa, ginja, e por momentos mesmo geleia de marmelo, percebe-se que a intenção foi fazer um vinho dirigido a um perfil muito na moda, com muitos adeptos nacionais. Mas felizmente o vinho não se esgota na fruta muito madura, descobrindo-se ainda mentol, discretos fumados, toques anizados e agradáveis notas de couro que lhe assentam muito bem. Por fim, adivinha-se o cedro, o sândalo e uma leve pincelada de cravinho.
Rico na boca, sem ser mastigável ou pastoso é um vinho possante e vigoroso. Nada de violências, que os taninos estão bem enquadrados e adivinha-se a existência de açúcar residual que o "arredonda" e amacia. É um vinho que consegue ter um perfil internacional, sem perder de vista a sua identidade alentejana, algo que nos parece ser uma aposta muito inteligente. Fim de boca prolongado, macio, é nitidamente um vinho de planície que representa com galhardia o Alentejo.

Monte do Pintor 2001
Nota 16. Rui Falcão.
Cor vermelho granada, bordos avermelhados e densidade média, eis como se apresenta este Monte do Pintor na avaliação cromática. O nariz, logo no prelúdio, acorda marcado por sintomas da torrefacção, muito café, um pouco de caramelo e mesmo leves fumados. Em poucos minutos estes aromas desaparecem, mantendo-se apenas, de forma muito bem educada, o brando aroma de torrefacção. Mas o que caracteriza realmente este tinto de Arraiolos é a colossal concentração de aromas de amora, mirtilo e cassis, num caso pouco vulgar de concentração aromática em três frutos de baga.
A envolvência é quente, lânguida, muito perfumada, sugerindo uma planície que convida à suave indolência letárgica. Uma combinação muito interessante que apenas peca pelo leve excesso de álcool que se apanha no fim de nariz.
A boca confirma de forma cabal os prenúncios transmitidos pelos aromas, está fácil, prazenteiro, sem arestas ou picos cortantes, apenas planícies, aqui e ali marcadas por suaves ondulações. Taninos sólidos e respeitáveis, suaves sem serem frouxos, está um tinto muito bem desenhado, aprazível e deleitável. Sente-se um toque interessante a chocolate de leite no fim de boca, num final longo e amplo. É um vinho bastante interessante que parece confirmar a aptidão da zona de Igrejinha para os vinhos de qualidade.

Janeiro 2005 - OS MELHORES VINHOS DE PORTUGAL - Guia Repsol
.."Este produtor lançou a sua primeira colheita no mercado em 1995, com a marca Monte do Pintor . Para além da qualidade irrepreensível, o vinho deu nas vistas pela beleza do rótulo, da autoria do Mestre João Cutileiro. De então para cá a empresa cresceu, o vinho tornou-se mais conhecido e os apreciadores passaram a ser em muito maior número. Se passar pela Igrejinha não se esqueça de fazer uma visita a este produtor, integrado da Rota Histórica dos Vinhos do Alentejo.

Janeiro 2005 - VINHOS DE PORTUGAL 2005 - João Paulo Martins
Monte do Pintor 2001 tinto. Prova de 2004. Nota 6.
Predomina a Trincadeira e o Aragonez. Cerca de 50.000 garrafas. Teve um estágio de 12 meses em casco. PVP de 7,50 €. Boa cor, aroma de fruta madura, menos químico do que muitos congéneres da nova vaga, está a chegar ao ponto certo para ser consumido. Isto confirma-se na boca, embora cheio e com vigor, já dá uma boa prova. Sirva-se.
Monte do Pintor 2000 tinto. Prova de 2003. Nota 6. Prova de 2003. Boa concentração de cor, aroma austero e vegetal sem que se perceba a fruta madura. É mais evidente na prova de boca, está um tinto cheio e redondo, com forte componente química que não torna a prova muito fácil.
Monte do Pintor 2001 tinto Reserva. Prova de 2004. Nota 6 . 9.900 garrafas produzidas. Teve um estágio de 12 meses em carvalho Allier. PVP 12 € . A madeira não é muito evidente no aroma, está tudo bem casado e nota-se que o tempo permitiu que as várias componentes se harmonizassem. Bom equilíbrio na boca, cheio, redondo e pronto a beber, é um tinto consensual, afinado e de boa proporção.

Janeiro 2005 - ANUÁRIO DE VINHOS - João Afonso
Monte do Pintor 1999.
Provado em 2003. Boa Cor. Fruto maduro e cremoso em notas abaunilhadas. Na boca está bastante seguro, fruto franco sem excessos, taninos com alguma matéria mastigável, nada de agressões e suave secura final. Um bom vinho. Nota 85.
Monte do Pintor 2000.
Provado em 2003. Notas pouco elegantes na madeirização ou excesso da mesma, fruto preto bem maduro com lenho e pau bem presente. Melhor na boca, fruto preto e chocolate com taninos de boa têmpera e bastante saborosos, final longo. Nota 86.
Monte do Pintor Reserva 2001.
Toque de evolução no aroma, vegetal, fruto silvestre, fumados resinosos. Na boca tem concentração mediana, taninos firmes e secos, fruto austero e resinoso, final seco. 12 €. Nota 82.